Bairro de arte 798 em Pequim, China

Sou apaixonada por arte moderna e não nego. Adoro a forma em que artistas se expressam. Quando fiquei sabendo que existia o Bairro de arte 798 em Pequim, não pensei duas vezes, precisava conhecê-lo.

Visitando o 798

A primeira vez que ouvi falar sobre o Bairro de arte 798 em Pequim foi em um blog de viagem meses antes da minha viagem para lá. Fiz questão de reservar o último dia para esse museu de arte ao céu aberto.

Ruas do Bairro 798

O 798 era antigamente uma fábrica militar que se tornou o centro artístico de Pequim. Também conhecido como distrito de arte, o 798 recebe milhares de compradores, turistas, locais e artistas durante o ano.

Ainda ha ruínas das fabricas

Aconselho a antes de ir, pesquisar os dias e horários em que as coisas abrem e fecham. Eu conheci um brasileiro que morava em Pequim, ele disse que além de mudar os horários, os lugares não abriam em alguns dias. Na época que estávamos, eles não abriam na segunda, então vale a pena checar.

Mapa do bairro 798

Ao chegar na entrada já fiquei maravilhada com o tamanho do lugar ao ver o mapa. Havia de tudo: instalações, restaurantes, cafeterias, exposições temporárias, galerias de arte e muitas lojas. Caminhamos por todos os lados.

Como chegar

A forma mais fácil de chegar é de metro e ônibus. Fomos até a parada de metro Sanyuanqiao e lá pegamos o ônibus 401 até Dashanzi Lukounan. Pela dúvidas anote isso é vá mostrando para as pessoas que eles irão te direcionar:

Bairro de arte 798: 艺术新区

Parada do ônibus Dashanzi Lukounan: 大山子路口南

O que ver no Bairro de arte 798 em Pequim

Apenas caminhar pelas suas ruas já te dará uma proporção do lugar. Resquícios de uma fábrica antiga em ruínas e arte por todos os lados. Curtimos cada loja, galeria e instalação que vimos. Mas se você quiser um pouco mais, deixo aqui as quatro galerias que visitamos:

Não pagamos para entrar em nenhum lugar em 2013, espero que continue assim. Se gosta de arte esse lugar deverá entrar na sua lista de lugares para visitar em Pequim.

Está procurando hotel para ficar em Pequim? O Booking.com tem acomodação que cabe no seu bolso e ainda você ajuda o blog. Reservando através do nosso link você não paga nada a mais por isso e uma pequena comissão é repassada para o blog.

Precisa de seguro? A nossa parceira Real Seguro de Viagem tem as melhores ofertas. Faça sua cotação com eles e se contratar o serviço através do nosso link nos ajudará a manter o blog sempre atualizado.

Seguro viagem asia 728x90

Curta nossa página no Facebook, siga o nosso Twitter e Instagram para ficar por dentro de todas as novidades. Estou também no Snapchat (likewanderlust), me adiciona lá.

Gostou desse artigo? Compartilha! Comenta!

20 Comments

  1. Pedro 30 de setembro de 2016 at 00:27

    Que lugar legal, Giulia! É incrível como Pequim mudou desde que estive lá. Muito provavelmente essa área nem existia da maneira que é hoje. Também adoro arte moderna e esse é bem o tipo de lugar que eu visitaria.

    1. Giulia Sampogna 8 de outubro de 2016 at 21:27

      Espero que possa conhecer na próxima vez que vá. Obrigada pelo comentário.

  2. Juliane 27 de setembro de 2016 at 19:38

    Adoro lugares onde podemos explorar a pé! Um bairro voltado para as artes deve ser muito legal. Não conheço a China, mas me encanta toda a cultura deste povo (e principalmente a culinária hehehe). Quem sabe um dia…

    1. Giulia Sampogna 27 de setembro de 2016 at 22:46

      Realmente a China é demais. Espero que esse dia chegue logo 😉 Obrigada pelo comentário.

  3. Pedro Henriques 27 de setembro de 2016 at 18:03

    Não sabia que havia bairros desta natureza em Pequim! É sempre bom termos uma alternativa de viagem nesses destinos! Parabéns pelo artigo e pelas dicas 🙂

    1. Giulia Sampogna 27 de setembro de 2016 at 18:44

      Obrigada pelo comentário Pedro.

  4. Mariana 26 de setembro de 2016 at 20:42

    Giulia, não tinha de ideia da existência de um lugar como esse em Pequim… Me lembra muito Berlim! Fiquei curiosa e já coloquei na lista de coisas para fazer!

    1. Giulia Sampogna 26 de setembro de 2016 at 21:25

      Mariana realmente não é um lugar muito conhecido. Espero que tenha a oportunidade de conhecer. Obrigada pelo comentário.

  5. Contramapa 26 de setembro de 2016 at 18:33

    Parace muito fixe! Realmente Pequim é uma cidade enorme e por isso deve ser difícil escolher o que ver… Obrigada pela dica! Adorei os dragões fardados e coloridos!

    1. Giulia Sampogna 26 de setembro de 2016 at 21:24

      Realmente difícil escolher o que ver mesmo. Obrigada pelo comentário.

  6. Ana - voupraroma 26 de setembro de 2016 at 07:24

    Show de Post. Pequim deve ser surpreendente mesmo! Um dos destinos que já coloquei na minha lista e quando for vou pedir mais dicas pra vcs. Bacio di Roma.

    1. Giulia Sampogna 26 de setembro de 2016 at 18:03

      Pode pedir Ana!!! Obrigada pelo comentário.

  7. Marlene Marques 26 de setembro de 2016 at 03:38

    Que interessante. Não associo nada Pequim a arte moderna, mas este local parece ser incrível. Boas dicas, principalmente a de checar os horários antes de ir, para não bater com a porta fechada. Gostei muito do post.

    1. Giulia Sampogna 26 de setembro de 2016 at 18:02

      Com certeza Marlene, sempre acontece de chegar em um lugar e estar tudo fechado. Bate uma tristeza né? Obrigada pelo comentário.

  8. Bruno Costa 26 de setembro de 2016 at 03:36

    Também gosto muito de arte moderna. O local parece ser interessantíssimo! E parabéns pelo artigo, muito bem escrito. =)

    1. Giulia Sampogna 26 de setembro de 2016 at 18:01

      Sempre que viajo procuro por Museu de arte moderna hahahaha. Obrigada pelo comentário.

  9. Itamar Japa 26 de setembro de 2016 at 02:50

    Ótima dica! E melhor de tudo, um passeio gratuito. Estamos namorando Pequim faz tempo, espero que quando chegar a nossa vez, ainda esteja tudo de grátis, rsrsr 😉

    1. Giulia Sampogna 26 de setembro de 2016 at 18:00

      Tomara que esteja tudo de graça mesmo hahaha. Obrigada pelo comentário.

  10. rui batista 25 de setembro de 2016 at 18:59

    Voltei de Pequim há uns dois meses, mas não me apercebi desta zona 🙁 E ficou muita pena por não saber. Quando voltar à cidade pela terceira vez, já vou melhor instruído 🙂 parabéns pelo post!

    1. Giulia Sampogna 26 de setembro de 2016 at 17:59

      Sempre acontece né Rui? Ainda bem que existem blogs de viagem para que todos compartam suas experiências. Eu descobri esse lugar em um blog que dava várias dicas pela Ásia. Obrigada pelo comentário.

Leave a Reply