Viver na Australia – parte 1 “O começo”

Sempre tive vontade de sair do Brasil e ir viver na Australia, conhecer uma nova cultura e viver algo diferente. Mas minha família sempre disse: “só depois que terminar a faculdade.” Ok, tive que passar por isso. Me formei em Publicidade e Propaganda e vi meu sonho chegando cada vez mais perto: Viver na Australia. Tive que esperar uns meses mais por causa da formatura e essas coisas. Em setembro de 2010 tinha minhas malas prontas e passagem para a Austrália.

 Porque viver na Australia?

Mas por quê a Austrália? Bom escutei muitas pessoas dizendo que era um novo mundo, que a economia estava boa e que era muito lindo. Segundo motivo é que minha tia mora em Sydney e uma mãozinha não ia faltar. E o terceiro e último motivo é que com o passaporte italiano (que eu tenho graças à família do meu pai) eu poderia ter um visto de 2 anos. Pronto, vamos embora…
Labrador – primeiro bairro que morei.
Cheguei na primavera e fui morar numa cidade chamada Gold Coast. O lugar é lindo e as pessoas dizem que é o Brasil na Austrália, não só pela beleza mas também pela quantidade de brasileiros que dominam o lugar.
A casa da minha homestay (pessoa que era responsável por mim por 1 mês) ficava em Labrador, um bairro calmo e familiar. O nome da mulher era Ngare e ela morava com o filho Blair. Apesar do custo de uma homestay ser super caro (cerca de $200 por semana) a experiência numa casa australiana valeu a pena e os dois sempre foram maravilhosos comigo.
Homestay Ngare e Blair
Quando os brasileiros vem para a Austrália a primeira coisa é ver escolas de inglês, já que o Brasil não tem Working and Holiday Visa, as escolas custam em média de $220 por semana estudando horário integral.
Turma de inglês na Shafston
Eu vim com o Working and Holiday Visa, mas fiz as coisas como se estivesse com o Student Visa. Comecei a estudar na escola chamada Shafston. Foi maravilhoso! Eu não falava nada de inglês e estava na sala com pessoas de tantas nacionalidades (milhões de brasileiros também) que tinham o mesmo nível que eu, tentávamos nos comunicar de todas as formas, mas só usando inglês.
Amigos queridos!!
Meus professores eram maravilhosos e os colegas nem se fala. Nas sexta-feiras íamos para um bar em Surfers Paradise (o lugar mais movimentado e conhecido de Gold Coast) e tinha o happy hour, ficávamos horas conversando e tentando praticar o inglês.
Debora: pinica, nordestina que eu tanto amo
Todas as terças acontecia a Brazilian Party, que é a festa mais famosa de Gold Coast. Pessoas de todas as nacionalidades iam para escutar e dançar música brasileira, uma loucura só.
Brindando a Brazilian Party

Veja também: Brazilian Party em Gold Coast

Gold Coast está repleta de coisas para fazer e ver, vale muito a pena ficar um tempo lá e aproveitar do “Brasil” que deu certo.

1 Comment

Leave a Reply