Onde não passar o Ano Novo em Sydney

Com mais de 40 lugares para ver os fogos artificiais, há alguns lugares que são uma furada. Confira abaixo onde não passar o Ano Novo em Sydney.

Como funciona o esquema do réveillon?

Para ver o famoso espetáculo na Harbour Bridge com uma ótima vista não tem outra, tem que pagar. Simples assim. Nos últimos anos o governo de Sydney vem fechando as melhores vistas para festas privadas que rendem milhões para a cidade. E se você quer ver de graça precisa madrugar e pegar um bom lugar na sorte. 

Multidão esperando pelo ano novo

Esse ano decidi criar coragem e me aventurar em um desses lugares de graça, os famosos “vantage points“. Me recomendaram dois lugares: Kiribiri em Sydney Norte e Mrs Macquaries Point. Acabei desistindo do primeiro por ser muito perto e um amigo me afirmar que havia visto pouco por causa da fumaça que os fogos criam. Comecei a planejar e me programar para ir ao segundo lugar. 

Vista em que eu esperava ver os fogos

Me animei muito com a minha escolha ao ver que era um dos pontos favoritos do site oficial da festa: SydneyNYE. Depois de todo o planejamento, contei os dias para chegar o dia 31 de Dezembro.

Onde não passar o Ano Novo em Sydney: Mrs Macquaries Point

As portas abririam às 10 da manhã, meu grupo e eu chegamos às 9:00 e já na Galeria de New South Wales havia uma multidão de gente se aglomerando em zig zag numa fila bem organizada. 

Fila ainda organizada antes de começar o movimento

Ao abrir os portões às pessoas perderam a cabeça e começaram a correr formando aquela tradicional multidão. Os organizadores, que haviam perdido controle, tentaram a todo custo voltar a uma única fila prejudicando assim muitas pessoas que haviam chegado cedo. Como foi o meu caso. Um deles veio em nossa direção e disse que nós chegamos depois da abertura dos portões e que deveríamos ir para o final da fila. Oi? Como assim? Mesmo explicando de todas as formas, eles não queriam deixar que nós e diversas pessoas passássemos. Como todos decidiram não se mover, ele não teve escolha, mas deixou passar na nossa frente muita gente que havia chegado depois. 

Depois de muito esforço conseguiram formar uma fila só

A fila

Os organizadores programaram a fila e a revista na frente da galeria de New South Wales o que limitou muito o espaço gerando muita confusão e empurra empurra. Todos estavam a mais de uma hora embaixo de um sol quente esperando para entrar na fila final. O clima era tenso e os organizadores rudes. Depois de aproximadamente 2 horas conseguimos entrar. 

Pessoas aglomeradas na frente da Galeria esperando para entrar

Revistando as bolsas

Para entrar no local é necessário passar por uma checagem nos pertences de cada um. Itens que são proibidos: facas e materiais cortantes, sprays, guarda sol, vidros, álcool de qualquer tipo e nada que possa machucar ou gerar confusão. Depois de revistados estávamos finalmente dentro. 

Entrada para a revista

Achar um lugar

Se você não foi um dos 200 primeiros a chegar, esqueça. Terá que sentar na frente de uma árvore. Tivemos que acampar em um local com várias árvores tampando nossa vista.

Pessoas acampando em qualquer lugar que desse para ver um pedaço da ponte

E os sortudos que chegaram primeiro? Não tiveram tanta sorte. Esse ano cercaram tudo com um vidro, até eles teriam que ver o espetáculo limitadamente. 

Privilegiados que chegaram entre 3 a 4 da manhã tiveram que ver tudo através de um vidro

Banheiros

A capacidade desse “vantage Point” era de 16 mil pessoas, a organização do evento colocou apenas 50 banheiros móveis no lugar.

Poucos banheiros para tanta gente

As filas eram gigantescas e às vezes chegava a demorar uma hora de espera. Espaço era o que não faltava, eles deveriam fazer as contas melhor na próxima vez. 

Filas demoravam cerca de 1 hora

Mas porque esse lugar é tão popular? 

Nos anos anteriores a área inferior do Mrs Macquaries Point era aberta e a maioria dos que chegavam cedo tinham uma linda vista privilegiada. A partir de 2016 eles passaram a fechar essa área para eventos privados, ou seja, a grande parte das 16 mil pessoas presentes tiveram que ver os fogos com árvores na frente. 

Cada um tem uma experiência diferente, mas na minha opinião se me perguntarem onde não passar o Ano Novo em Sydney, não hesitarei em nomear o Mrs Macquaries Point. 

Leia aqui mais sobre Sydney

Está procurando hotel para ficar em Sydney? O Booking.com tem acomodação que cabe no seu bolso e ainda você ajuda o blog. Reservando através do nosso link você não paga nada a mais por isso e uma pequena comissão é repassada para o blog para seguir o sonho de trabalhar com esse meio.

Precisa de seguro? A nossa parceira Real Seguro de Viagem tem as melhores ofertas. Faça sua cotação com eles e se contratar o serviço através do nosso link nos ajudará a manter o blog sempre atualizado.

Seguro viagem geral 728x90

Curta nossa página no Facebook, siga o nosso Twitter e Instagram para ficar por dentro de todas as novidades. Estou também no Snapchat (likewanderlust), me adiciona lá.

Gostou desse artigo? Compartilha! Comenta!

21 Comentários

  1. wander 16 de outubro de 2017 at 03:04

    Giulia…irei para sydney no reveillon e tem indicação de alguma festa????

    1. Giulia Sampogna 16 de outubro de 2017 at 08:23

      Oi Wander. Já começaram a vender os ingressos para as melhores festas e a verdade que depende de quanto você quer gastar. Me fala quanto você pretende gastar e eu te dou um dicas. Abraços.

  2. Isabela Bastos 9 de janeiro de 2017 at 00:25

    Odeio multidões!!!rs òtima dica… certeza se um dia pensar na virada de ano em Sydney irei me lembrar desta fato..

    1. Giulia Sampogna 14 de janeiro de 2017 at 00:08

      Eu também não gosto de multidões. Obrigada pelo comentário

  3. Lucas Nascimento 8 de janeiro de 2017 at 07:03

    Senti a decepção lendo o seu texto, ficar em frente a uma árvore ninguém merece, mas é dia de festa! 🙂
    Um ótimo 2017!!

    1. Giulia Sampogna 8 de janeiro de 2017 at 09:05

      Verdade Lucas! Ano que vem eu pago uma festa e farei um relato diferente hahahaha feliz 2017

  4. Mariana 8 de janeiro de 2017 at 06:45

    Me lembrou muito a experiência do Reveillon em Copacana! Os mesmos problemas e mais…

    1. Giulia Sampogna 8 de janeiro de 2017 at 09:05

      Tá cada vez mais difícil. Tudo é pelo dinheiro. Obrigada pelo comentário.

  5. Alessandra 8 de janeiro de 2017 at 03:43

    Ótima dica, muito bem detalhado o post.

  6. Márcia Silveira Pessoa 8 de janeiro de 2017 at 02:30

    Giulia, resumindo tudo, que muvuca!!! Mas é bom ter essa visão do outro lado, isso é ótimo para ficarmos alertas! Obrigada, bj

    1. Giulia Sampogna 8 de janeiro de 2017 at 09:03

      Uma muvuca mesmo hahaha. Obrigada pelo comentário.

  7. Fernanda Souza 8 de janeiro de 2017 at 01:57

    Morei uns meses em Sydney, mas acabei não ficando para o réveillon. Meus amigos diziam a mesma coisa: para ver o que a TV mostra tem que pagar e caro. Ir nos lugares públicos é furada. E lendo esse post vejo que é furada mesmo.

    1. Giulia Sampogna 8 de janeiro de 2017 at 09:02

      Verdade Fernanda. Fui esse ano como experiência e vi tudo atrás de árvores. A maioria dos anos eu vejo perto da minha casa que tinha uma vista melhor que essa. Obrigada pelo comentário.

  8. Pelcio Ricardo 7 de janeiro de 2017 at 22:58

    É sempre muito bom ver um artigo com Não, ou seja, o que não devemos fazer ou onde não devemos ir, eles nos ajudam muitooooo….
    Parabéns pelo artigo!

    1. Giulia Sampogna 8 de janeiro de 2017 at 09:00

      É apenas uma forma de evitar que pessoas passem o mesmo né? Obrigada pelo comentário

  9. Flavia Zenke 7 de janeiro de 2017 at 13:33

    Nossa que roubada passar no meio dessa multidão, com certeza vou me lembrar disso quando for para Sidney. Vale u a dica!

    1. Giulia Sampogna 7 de janeiro de 2017 at 18:14

      Bom alertar as pessoas né Flávia?! Ainda mais os que vêm para cá só para isso. Obrigada pelo comentário.

  10. Caren Sales 7 de janeiro de 2017 at 09:34

    Que bacana seu post.!
    Não sabia que tinha tanta informações para o evento.!
    Ótimo saber de tudo isso… arrasou.!

    Um beijo!

    1. Giulia Sampogna 7 de janeiro de 2017 at 18:13

      Bom alertar as pessoas né? Obrigada pelo comentário.

Tem alguma pergunta ou quer dividir sua história? Seu lugar é aqui.